Moradores de Itaboraí pedem obras de saneamento e infraestrutura

Comerciante perdeu bens em enchente

Dono de uma barraca e um mercadinho em São Joaquim há 35 anos, quando o bairro ainda se chamava “Vale do Sol”, Riomar Cabral, de 63 anos, conta que o valão está em situação regular. O curso d’água que corta toda a Alameda Um, onde o comerciante mora, apesar de exalar mau cheiro e deixar moradores preocupados com a transmissão de doenças, está sem lixo e sem vegetação no entorno. No entanto, os moradores não estão satisfeitos com a ‘maquiagem’ e pedem melhorias.

“Quando ameaça chover, o cheiro sobe até o segundo andar das casas. E quando chove, transborda e invade a rua”, lembra Riomar. E a situação do curso d’água não é recente. O comerciante lembra que, há alguns anos, após fortes chuvas, o valão transbordou e invadiu casas. A água podre alcançou mais de 1,5 m de altura das residências. “Perdi tudo no mercadinho”, lembra.

Moradores contam que, recentemente, a Prefeitura realizou uma ação de limpeza do córrego, retirando o excesso de vegetação, mas não é o suficiente para melhorar a situação da rua e do bairro, que precisa de saneamento básico e obras de infraestrutura.

Clientes do comércio corroboram o que Riomar conta e lembram do insuportável mau cheiro que a água exala. “Entra governo e sai governo, a situação é essa”, desabafou um dos frequentadores.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Itaboraí foi procurada, mas não deu retorno até o fechamento desta edição.

Fonte:Site O São Gonçalo

Comments

comments

Você também pode gostar...