Orgulho local-Artista Plástico Arthur Goulart

 

Arthur Goulart,  acostume-se com esse nome!

Esse jovem vem chamando atenção por onde passa.  Aos 10(dez) anos de idade,  Arthur Goulart impressiona por sua arte, já tendo exposições reconhecidas no meio artístico.

O jovem pintor demonstrou seu interesse pelas artes muito cedo. Ao ganhar de presente da tia uma tela, ele aos 5(cinco)anos pediu aos pais, o professor de Língua portuguesa Alex Fabiani e a professora de sociologia Julie Goulart, que comprassem para ele telas e tintas e, sendo incentivadores da cultura, eles não pensaram duas vezes em atender o pedido do seu filho. O menino logo começou a se utilizar de todo tipo de instrumentos para se expressar e assim esponjas, colheres de pedreiro, reciclagens dentre outras coisas viraram amigos da arte de Arthur.

Sua primeira exposição foi na biblioteca Municipal Joaquim Manuel de Macedo  e, com apoio da curadora Desirée Monjardim que o convidou a expor na Sala José Cândido de Carvalho, em Niterói, ele conseguiu atingir um grande público, sempre tendo casa lotada e muita procura por suas obras. Ao ser perguntado sobre quem percebeu nele esse dom na vida escolar,  menciona a professora Simone do Centro Educacional Manilhense e afirma a importância do incentivo e a falta que faz não haver pessoas ou lugares na cidade especializados em perceber as crianças que nessa faixa de idade estão descobrindo uma capacidade acima da média. Arthur agora está estudando no Colégio Rio Bonito por não termos aqui, uma escola que atenda suas necessidades,  mas mesmo assim não desanima porque tem o objetivo de conseguir concluir seus estudos no Canadá, por acreditar que lá haverá mais oportunidades e segue criando e expondo sua arte pra encantar a todos.

Uma “fã” de   que ele fala com muito carinho é Lucinha Araújo, mãe do falecido cantor Cazuza. Arthur, ao saber um pouco mais sobre o trabalho na Sociedade Viva Cazuza decidiu ajudar e mandou um de seus quadros para ser leiloado e ter a renda revertida para a instituição. A convite da matriarca,  ele foi à instituição e pôde conhecer essa maravilhosa iniciativa que já atua há tantos anos, que o emocionou e vem emocionando muitos que a conhecem.

Preocupado com crianças que, como ele, apresentam capacidade acima da média, criatividade e concentração com a tarefa, o artista pede que o governo da cidade invista na identificação destas crianças. “Elas não se acham sozinhas, não se descobrem sozinhas, precisam de ajuda”, desabafa.

Esse jovenzinho, tão novo,  já sabe e sente na vida o que o incentivo ou a falta dele pode fazer. Ele é um artista maravilhoso e tem a sorte de ter ao seu lado pais que se dedicam e apoiam, mas há outros que não tem essa mesma  sorte e deveriam ter um governo que olhasse por eles ou acabaram esquecidos, desprezados…

Arthur  sonha em dia poder conhecer seu ídolo, Romero Britto, mas que também se encanta pela arte do grafiteiro Eduardo Kobra que mesmo com um estilo diferente do dele , desperta no menino  sua arte e nos ensina que a diferença artística também pode ser linda.Todas as diferenças são.

Obras do acervo do artista:

Gotas

Experiencia

Quadro doado a fundação viva Cazuza

Um dia de sol

O gigante adormecido

Natureza Viva

Elementos

Fonte:Redação Portal Local Itaboraí

Comments

comments

Você também pode gostar...